Resenhas
Veja aqui os conteúdos do Núcleo de Pesquisa: 



Resenha para o 3º Número da Revista Afro B (1 de 5)

Resenha do livro (T)Races of Louis Agassiz : Photography, body and Science yesterday and today / Rastros e raças de Louis Agassiz: fotografia, corpo e ciência, ontem e hoje. Publicado por: Maria Helena P. T. Machado & Sasha Huber (Eds.) Capacete & 29ª Bienal de São Paulo, 2010. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura.

Resenha do livro “A África explicada aos meus filhos” de Alberto da Costa e Silva. Editora Agir, 2008. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 

Resenha para o 3º Número da Revista Afro B (3 de 5)
Resenha do livro “Palmares” de Flávio Gomes. Editora Contexto, 2005. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura.

Resenha para o 3º Número da Revista Afro B (4 de 5)
Resenha do livro “Pele Negra, Máscaras Brancas” de Franz Fanon. Edufba, Editora da Universidade Federal da Bahia, 2008 [1ª.Ed.1958]. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura.  

Resenha para o 3º Número da Revista Afro B (5 de 5)
Resenha do livro “Memória da África: a temática africana em sala de aula” de Carlos Serrano/ Maurício Waldman. Cortez Editora, 2007. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 
  

Resenha para o 1º Número da Revista Afro B (1 de 6)

Resenha do livro “ A noite dos cristais ” de Luís Fulano de Tal [Luís Carlos de Santana]. O livro narra o épico vivido por Gonçalo que, no período da Revolta dos Malês na Bahia (1835), foi escravizado por anos e posteriormente vindo a fugir para Guiana, aonde produziu suas memórias, contadas no livro “A Noite dos Cristais”. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 
 

Resenha do livro “ Diário de Bitita ” de Carolina Maria de Jesus. O livro discorre, em forma de prosa, sobre as memórias de infância da escritora negra Carolina Maria de Jesus. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura.

Resenha para o 1º Número da Revista Afro B (3 de 6)
Resenha do livro “ Para quando África?: entrevista com René Holenstein . do historiador africano Joseph Ki-Zerbo (1922-2006). O livro discorre sobre vários temas tais como o tráfico de escravos, problemas do período colonial e implicações negativas na cultura africana etc. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura.

Resenha para o 1º Número da Revista Afro B (4 de 6)
Resenha do livro “ História da África: uma introdução ” de Luiz Arnaut e Ana Maria Lopes. O livro trata de modo reduzido sobre os grandes temas ligados à história e cultura africanas. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 
  
Resenha para o 1º Número da Revista Afro B (5 de 6)
Resenha do livro “ A busca da África no C andomblé: tradição e poder no Brasil ” da professora de antropologia da Soborne Stefania Capone. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 

Resenha para o 1º Número da Revista Afro B (6 de 6)
Resenha do livro “ A Revolta da Chibata ” do jornalista Edmar Morel. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 

Resenha para o 2º Número da Revista Afro B (1 de 3)

Resenha do livro “Dicionário das Relações Étnicas e Raciais” Ellis Cashmore Selo Negro (Summus Ed.), 2000j, apresentando o dicionário organizado pelo sociólogo Ellis Cashmore, em colaboração com outros intelectuais que definem termos relacionados a questões raciais. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura.

Resenha para o 2º Número da Revista Afro B (2 de 3)
Resenha do livro “O Banquete Sagrado: notas sobre os de comer” de Vilson Caetano de Sousa Junior sobre comidas de santos, ou ofertas alimentares a orixás (editora Atalho, 2000).  A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura.

Resenha para o 2º Número da Revista Afro B (3 de 3)
Resenha do livro “Intolerância religiosa: impactos do neopentecostalismo no campo religioso afro-brasileiro” (2007) organizado por Vagner Gonçalves da Silva.  A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 

Resenha para o 2º Número da Revista Afro B (1 de 2)
Resenha ““Espelho Infiel: o negro no jornalismo brasileiro” de Flávio Carrança e Rosane da Silva Borges (2ª. Ed. Gryphus, Rio de Janeiro, 1999). Trata-se de uma coletânea de textos críticos a respeito do racismo na imprensa, o negro e o eurocentrismo no jornalismo, entre outros temas. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 
 
Resenha do livro “O Diamante Eterno: Biografia de Leônidas da Silva de André Ribeiro”. Trata-se de uma coletânea de textos críticos a respeito do racismo na imprensa, o negro e o eurocentrismo no jornalismo, entre outros temas. A Revista Afro B, do Museu Afro Brasil foi editada entre dezembro de 2010 e junho de 2011, com o total de 4 números. Ela fazia parte de um programa chamado Cultura Viva, do Ministério da cultura e teve apoio da Secretaria de Cidadania Cultural, servindo de intermediária editorial para os grupos que desenvolviam atividades culturais chamados Pontos e Pontões de Cultura. 
 

Apresentação de parte do acervo do Museu Afro Brasil com obras dos artistas Rubem Valentim e José Adário. Texto curatorial elaborado para a exposição itinerante homônima promovida pelo Sesc Catanduva e pelo Museu Afro brasil, com apoio Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP). 
BUSCA

O Museu está aberto o ano todo, com exceção das seguintes datas:

  • 24 e 25 de dezembro
  • 31 de dezembro
  • 1º de janeiro