Visita para grupos espontâneos
10 de Setembro (domingo), às 14h00
17 de Setembro (domingo), às 14h00


As visitas para o público espontâneo terão como foco temas relativos aos núcleos que compõem a exposição de longa duração e que abordam a História, Memória e Arte dos brasileiros a partir da perspectiva afro-brasileira.

As visitas nos finais de semana têm duração de 1h30 e são realizadas com grupos de no mínimo 5 e, no máximo, 20 pessoas respeitando a ordem de inscrição e/ou chegada. Para participar, é necessário chegar com 15 minutos de antecedência ao horário programado é procurar o setor de acolhimento.
Público-alvo: aberto a todas as idades.
Aos domingos, o ingresso no Museu Afro Brasil é pago. Valores dos ingressos e política de gratuidade estão disponíveis no site do museu.



Visita de Primavera – Primavera dos Museus
21 de Setembro (quinta-feira), às 11h30 e 15h30

Como parte da programação da Primavera de Museus, evento promovido pelo pelo IBRAM - Instituto Brasileiro de Museus -, a Visita de Primavera no Acervo do Museu Afro Brasil é voltada ao público espontâneo e apresentará obras da coleção por meio da mediação educativa, destacando a presença negra na história brasileira.

As visitas serão realizadas com grupos de no mínimo 5 e, no máximo, 20 pessoas respeitando a ordem de inscrição e/ou chegada. Após o início da atividade, não será permitida a entrada. Para participar, é necessário chegar com 15 minutos de antecedência ao horário programado e procurar o setor de acolhimento.
Duração: 1h30
Público-alvo: Infanto-juvenil



Ação educativa - "Ngoma está chamando" (Primavera de Museus)
23 de Setembro (sábado), às 14h00

Instegrando a programação da 11ª Primavera de Museus, evento promovido pelo IBRAM - Instituto Brasileiro de Museus, realizaremos uma edição especial da oficina Ngoma. Nessa proposta os participantes aprendem a confeccionar tambores de forma simples e prática. Em seguida, são convidados a aprender alguns toques e a participar de uma roda, durante a qual todos tocam, cantam e dançam.

A oficina preza pela simplicidade de construção e execução, utilizando-se apenas de cano PVC e fita adesiva, e conta com a presença de um educador que orienta a confecção e conversa sobre o instrumento de importância tão fundamental em seu país de origem, a República Democrática do Congo

Duração: 2h00
Atividade Gratuita
Público-alvo: a partir de 7 anos
Inscrições: eventos.educacao@museuafrobrasil.org.br



Ação educativa "Espirais de Memórias" - Primavera de Museus
24 de Setembro (domingo), às 11h00 e 14h00

Na ação "Espirais de Memória" o público é convidado a conhecer o acervo do Museu Afro Brasil e depois a vivenciar uma produção coletiva relacionado suas memórias àquelas vividas no museu. A atividade faz parte da programação da 11ª Primavera dos Museus, evento promovido pelo IBRAM - Instituto Brasileiro de Museus.

As visitas aos finais de semana tem duração de 1h30 e são realizadas com grupos de no mínimo 5 e, no máximo 20 pessoas de todas as idades. Para participar, é necessário chegar com 15 minutos de antecedência ao horário programado e procurar o setor de acolhimento.
Aos domingos, a entrada no Museu Afro Brasil é paga. Valores dos ingressos e política de gratuidade estão disponíveis no site do museu.



I Ciclo de Seminários sobre Práticas Educativas: O Museu Afro Brasil em outros territórios
Seminário I - Nossa experiência com a FUNDAÇÃO CASA: uma reflexão a respeito de jovens em medidas socioeducativas

27 de Setembro (quarta-feira), às 10h00

Integrando a programação subsidiada pelo Premio Darcy Ribeiro, nesse dia o Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil e profissionais que atuam na Fundação CASA dialogarão a respeito da parceria que envolve formação de profissionais e realização de atividades culturais com adolescentes e jovens que cumprem medidas socioeducativas.

Duração: 7h00
Atividade gratuita
Público-alvo: educadores
Inscrições
aqui


Conferência Internacional "O tráfico atlântico de africanos: uma perspectiva humana"
28 de Setembro (quinta-feira) às 14h00

Nesta conferência, o historiador Marcus Rediker apresenta e discute as perspectivas dos sujeitos envolvidos no tráfico. Ao destacar uma "perspectiva humana", Rediker contribui para uma melhor compreensão da formação do mundo contemporâneo por meio do tráfico negreiro, e também demonstra com em meio à inominável violência da travessia do oceano, elaborou-se, já nos porões dos navios negreiros, intensas culturas de resistência que estiveram presentes em toda a diáspora africana.

Marcus Rediker, atualmente professor da Universidade de Pittsburgh na Pensilvânia, Estado Unidos,
é um dos mais renomados historiadores dos tráficos de africanos, a partir da "história vista de baixo". É autor, entre outros, dos livros "O navio negreiro: uma história humana" e "a hidra de muitas cabeças: marinheiros, escravos, plebeus e a história oculta do Atlântico Revolucionário" (em co-autoria com Peter Linebaugh) - ambos pela Companhia das Letras.

Duração: 2h00
Atividade gratuita
Inscrição aqui
Publico-alvo: A partir dos 12 anos



Aos Pés do Baobá

30 de Setembro (sábado), às 11h00

Durante este evento de contação de histórias ou mediação de leitura, os visitantes terão oportunidade de conhecer narrativas africanas ou afro-brasileiras e, em seguida, participar de um bate-papo conduzido por integrantes do Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil.

Duração: 2h00
Atividade gratuita
Inscrições: eventos.educacao@museuafrobrasil.org.br
Público-alvo: livre

BUSCA

O Museu está aberto o ano todo, com exceção das seguintes datas:

  • 24 e 25 de dezembro
  • 31 de dezembro
  • 1º de janeiro