O Acervo do Museu Afro Brasil conserva mais de 5 mil obras que englobam diferentes áreas de múltiplos universos culturais africanos, indígenas e afro-brasileiro. Dividido por meio de Núcleos temáticos, o acervo procura abranger aspectos da arte, da religião afro-brasileira, do catolicismo popular, do trabalho, da escravidão, das festas populares, registrando assim, a trajetória histórica, artística e as importantes influências africanas na construção da sociedade brasileira. 

Sua coleção é composta de gravuras, pinturas, desenhos, aquarelas, esculturas, documentos históricos, fotografias, mobiliário, obras têxteis, plumárias, cestarias, cerâmicas, entre outras obras elaboradas desde o séc. XVI até os nossos dias. Mas o objetivo de tornar o acervo do Museu Afro Brasil disponível online não se limita às obras em si, visamos também, progressivamente, tornar público aos pesquisadores, professores, alunos, visitantes e interessados em geral os dados das pesquisas mais relevantes a respeito das obras deste acervo. Sendo assim, o Acervo digital de arte africana ora parcialmente disponibilizado foi o escolhido para integrar a primeira parte do projeto de digitalização e disponibilização online mais completo do acervo. 

Constituído por mais de 300 obras, o núcleo de arte africana tradicional do Museu Afro Brasil abarca obras de dezenas de povos que compõe os principais exemplares desta arte presente em museus. Como não poderia ser diferente, é dada uma atenção especial a povos cuja ligação atlântica com o Brasil em íntimos laços seja historicamente reconhecida. Dentre esses, contamos com obras dos povos: Iorubá, Fon, Bini, Baule, Iaure, Senufo, Attie, Bamana, Dogon, Landuma, Bijagó, Chokwe, Baluba, Bakongo, Suku,  Makonde, entre outros.

Nesta segunda etapa de disponibilização de informações sobre as obras pertencentes ao acervo do Museu, foram escolhidos um representativo conjunto de pinturas e desenhos realizados durante o século XIX e XX. Seus autores, popularmente conhecidos por “Negros Pintores”, constituem um importante capítulo da história da arte brasileira, bastante revelador da diversidade, inventividade, superação e talento afirmados no campo da erudição e da criação artística. Integram esta primeira seleção: Antônio Rafael Pinto Bandeira (1863-1896); Antônio Firmino Monteiro (1855-1888); Estevão Roberto Silva (1845?-1891); Arthur Timótheo da Costa (1882-1922); João Timótheo da Costa (1879-1932); Benedito José Tobias (1894-1963?); Benedito José de Andrade (1906-1979); Wilson Tibério (1916-2005).

 




BUSCA

O Museu está aberto o ano todo, com exceção das seguintes datas:

  • 24 e 25 de dezembro
  • 31 de dezembro
  • 1º de janeiro